ACIPG sugere ao prefeito reajuste da inflação na taxa de água

A Associação Comercial, Industrial e Empresarial de Ponta Grossa (ACIPG), enviou nesta quarta-feira (21), um ofício para o prefeito Marcelo Rangel (PSDB) solicitando apenas a correção da inflação na tarifa de água. Na semana passada, o Tribunal de Justiça do Paraná (TJ-PR) incumbiu à Prefeitura de Ponta Grossa a decisão sobre o reajuste na tarifa da Companhia de Abastecimento do Paraná (Sanepar).

A medida foi proferida na semana passada, pela juíza substituta Rafaela Mari Turra, baseada em ação proposta pelo vereador Jorge da Farmácia (PDT), contrária ao aumento de 12,13% sugerido pela Agência Reguladora de Serviços Públicos Delegados de Infraestrutura do Paraná (Agepar). Na última sexta-feira (16), uma nota foi emitida pela Prefeitura, afirmando que vai acompanhar o reajuste realizado pela concessionária no restante do estado.

O presidente da ACIPG, Douglas Taques Fonseca, afirma que a instituição é totalmente contrária ao aumento superior ao índice da inflação. Ele comenta que a água é um bem de uso comum, essencial à vida humana e faz parte da maioria dos processos de produção. Desta forma, um aumento neste nível eleva a inflação em Ponta Grossa. “Temos a certeza que existem outras formas para não ocorrer um reajuste tão oneroso e isso deve vir da eficiência da empresa, na redução dos próprios custos”, disse.  

Fonseca lembra de uma matéria publicada pela revista Valor Econômico, que noticiou no mês de fevereiro deste ano, lucro líquido de R$ 320 milhões no quarto trimestre de 2018, alta de 107,5% na comparação anual. “Na reportagem, a empresa alega que o crescimento de receita foi beneficiado principalmente pelo reajuste tarifário anual de 5,12%, que passou a vigorar em maio do ano passado e pelo aumento das ligações de água e esgoto. Com relação ao lucro, a companhia atribui o ganho ao aumento da receita e à redução de 2,6% nos custos e despesas operacionais”, disse Fonseca, salientando que o aumento da tarifa do ano passado foi um dos principais fatores para um aumento expressivo no lucro.

Considerando estas informações, a ACIPG reitera ao prefeito municipal, a importância de seu posicionamento quanto ao assunto, considerando que o Tribunal de Justiça o possibilitou oferecer um reajuste diferenciado do restante do Paraná, que pode estar em consonância com a inflação, ou em mais que o dobro dela. “A taxa de inflação é o aumento médio no nível de preços. Ou seja, é a média do crescimento dos preços de um conjunto de bens e serviços em um determinado período. Em virtude disso, entendemos ser a alíquota adequada para o reajuste da tarifa de água em Ponta Grossa”, finaliza o presidente.

O que diz Rangel

Nas redes sociais, o prefeito comentou sobre o assunto. “Ponta Grossa respeitará a decisão estadual e ponto final”, disse.

Com informações da assessoria.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *